Conheça a história da Torre Iznaga de Trinidad

Published by Dicas sobre Cuba on

Dentre as atrações em Trinidad, na província de Sancti Spíritus, está a famosa Torre Iznaga, localizada na antiga fazenda Manaca-Iznaga, que pertenceu, no passado colonial, a Alejo Iznaga (1793-1845), senhor de engenho de açúcar.

.

.

Do alto, observavam-se as plantações da região e o trabalho dos escravos. O sino, no topo da torre, marcava o início e final da exaustiva jornada. Escravocrata, mas religioso, as batidas do campanário do senhor Iznaga também avisava a pausa para realizar a reza à Virgem da Santíssima Trinidad, uma vez pela manhã, outra ao meio dia e a última à tarde.

A torre servia ainda para vigilância, monitorava as tentativas de fuga de escravos, possibilitava avistar focos de incêndio ou até mesmo a aproximação de barcos piratas na costa sul da ilha.

.

.

Sobre a origem da construção, finalizada por volta de 1816, algumas versões folclóricas surgiram nos povoados do Valle de los Ingenios. Contam que Alejo e seu irmão, Pedro, travaram uma disputa amorosa. Apaixonados por uma mesma jovem, apostaram que sairia vencedor aquele que construísse a maior obra em tamanho. Assim, Alejo construiu a torre de 45 metros de altura e Pedro, um poço de 28 metros de profundidade.

.

.

A outra versão registra que, na verdade, Alejo, diante do comportamento infiel da sua esposa, realizou a obra para encerrá-la.

Como se observa, a Torre Iznaga, sem dúvidas, é um símbolo arquitetônico-cultural da história da indústria açucareira cubana e do passado colonial do Valle de los Ingenios.

.

.

Ao longo dos seus 45 metros de altura, ela foi edificada com sete níveis em formas geométricas. Os três primeiros são quadrados e os quatro últimos, octogonais. Um escada interna a percorre da base ao campanário. Você pode explorá-la aos poucos, fazendo intervalos para descansar, fazer fotos e principalmente apreciar a linda paisagem.

E aí, preparado para subir e observar o vale do alto da torre?

Categories: Trinidad

0 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *